MANIFESTO VORAGEM  (2019)

Voragem é a desconstrução do pensamento engessado, sob os ditames das regras sociais vigentes. Trata-se de uma provocação inclinada ao agir espontâneo, livre de amarras e atitudes retrógradas e preconceituosas. O movimento de mulheres artistas piauienses aponta para um porvir onde a voz feminina possa ecoar em tons de harmonia com o meio, dirimindo barreiras cotidianas de intolerância com o diferente e o novo.

Nasce, desta maneira, o prelúdio de um movimento coletivo, ressaltando a necessidade de luta permanente contra o papel corrosivo da sociedade na delimitação dos traços que caracterizam o sujeito. O resultado desta imposição social corrobora para deturpar o sentido da existência, impondo moldes de impossíveis encaixes.

A mulher, nesse contexto, acaba sucumbindo ao redemoinho intenso dos padrões impostos socialmente,

em detrimento da imagem de “si mesma” projetada timidamente por trás dos embustes

construídos diariamente, e sob a ótica de outrem.

Voragem surge da fome de alma das mulheres artistas do Meio-Norte 

e como simbologia - além de um desejo de grito coletivo e plural sobre a real 

natureza e força feminina - uma reivindicação de ocupação de mulheres não mais

na posição de musas e ultrapassando a de artistas, também estrategistas sociais,

gestoras culturais e tudo aquilo que puderem ser.

 

Dessa união nasce a oportunidade de um manifesto formado mulheres 

artistas que entendem, cobram e promovem a ocupação de suas identidades

e trabalhos para si mesmas e para as futuras gerações. Ainda é possível gritar,

certamente, e o grito feminino deve ecoar ferozmente, ultrapassando a carapaça

de intolerância talhada no mundo contemporâneo.

tigresalinda.png
Feirinha 1
Feirinha 2